sábado, 14 de fevereiro de 2009

Liturgia - 6º Domingo, Tempo Comum


Depois de algum tempo de ausência neste blog, hoje gostava de partilhar aqui a introdução e a oração dos fieis da nossa eucaristia de Gaia. Umas vezes é o meu irmão Rui Pedro que prepara, hoje a tarefa tocou-me a mim. Posto-a aqui para juntos celebramos a alegria e a vivência comum da Fé. Até breve...


Introdução

Irmãos

Hoje estamos reunidos para celebrar o tempo favorável; o tempo da Alegria e da Salvação permanente dado em Jesus Ressuscitado. Já não há barreiras, medos, ou obstáculos. Já não há separação entre puros e impuros, porque TODOS fomos santificados, curados, purificados e revestidos do Homem Novo pelo Baptismo no Espírito.
Somos um Corpo Vivo com Jesus de Nazaré porque ele já nos tocou. Já limpou as lepras que nos separavam e nos oprimiam. Por isso, com ele, formamos um Só Corpo: Santo, Saudável, Vivo e glorioso!
Eis a grande Notícia: somos SANTOS. Não pelos méritos que acumulamos, ou por alguma coisa que fizemos, …mas por pura Graça daquele que continua a estender-nos a mão, a convidar-nos à Mesa do Banquete do Reino, e a realizar a comunhão fraterna dos Salvos.




Oração dos Fieis


Pai Santo:
Ajuda-nos a experimentar a alegria de vivermos como salvos. Ensina-nos, Pai, a permanecermos fiéis à Graça do nosso Baptismo, e respondermos ao Teu Projecto duma Humanidade Nova e curada na comunhão com Jesus
Oremos Irmãos

Pai Santo:
Desejamos ser Felizes na dependência do teu Amor e no Perdão fraterno. Abre-nos à urgência da comunhão com aqueles que estão longe, e ainda não conheceram a proximidade de irmãos. Enche o nosso coração da tua compaixão, Pai Santo, para que sejamos sinal visível e eficaz da tua Misericórdia
Oremos Irmãos

Pai Santo:
Pedimos-te pelos tristes, os amaldiçoados e todos quantos carregam as feridas da incompreensão e da intolerância. Ajuda-nos, Pai Santo, a exercermos o ministério da Reconciliação, e sermos mediação de Jesus Ressuscitado, a Árvore da Vida cujas folhas curam toda a humanidade
Oremos Irmãos


3 comentários:

Sol da manhã disse...

:D :D :D

OBRIGADA!

SHALOM

Mila disse...

Acho que nunca me senti tão em comunhão com algém que não estava presente na Eucaristia, mas que eu adoraria que estivessem. Ah... como eu gostava que essas pessoas lá estivessem...
São pessoas que precisam urgentemente de sentir a alegria e o gosto desta libertação, vivendo como salvos.
Já lá estiveram a celebrar connosco e senti uma grande tristeza neles por na hora da partilha do pão, não se sentirem dignos de se apróximarem...
A sensação que tenho é que eles hoje perderam uma grande oportunidade em não ouvirem a Palavra e o Convite de Jesus ò qual tenho a certeza de que de alguma forma lhes tocaria... Mas haverá outras... Deus é Bom e está-nos sempre a surpreender!

Gostei muito e obrigada por a partilhares aqui!

figlo disse...

Ai, Gustavo, que Grande celebração, a de ontem! Celebrar a Vida que se diz e se proclama e fazer Vida daquilo que se diz e se proclama! A verdade é que pode custar a cabeça ou a cruz, mas é a única maneira de sermos sérios e dignos...Como a Mila, que pena eu tive de que não estivessem ali, todos os que a si próprios se excluem do "acampamento" e da Mesa porque deixaram de acreditar na Misericórdia que supera a lei que os obriga a gritar "impuros"!